segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Esta é a saudade...





Esta é a saudade: viver no afecto
E não ter morada no tempo
Estes são os desejos: conversa silenciosa
Horas diárias com a eternidade.

Esta é a vida. Até que de um ontem
suba a mais solitária de todas as horas
Tão sorridente, diferente das irmãs
que se calam eternamente.

Rainer Maria Rilke

12 comentários:

José Augusto Nozes Pires disse...

Boa escolha!

Carminda Pinho disse...

Este é um poeta que eu não conhecia.
Gostei desta saudade, "viver no afecto e não ter morada no tempo".

Beijos, Meg

PS: Oh! E eu não estava a pensar nada....:)))

São disse...

Gosto de poesia e deste poeta também, mas acho que perde sempre alguma coisa na tradução...

Beijinhos.

Meg disse...

Zé,

Obrigada, eu também gosto muito!

Um abraço

Meg disse...

Carminda,

Quando o descobrires, vais gostar, tenho a certeza.
Não estavas? Sorry!ahahahah!!!

Beijo para ti, pré-a...

Meg disse...

São,

O problema das traduções é uma constante em muitos autores... faz-me lembrar as traduções das legendas no cinema.

Mesmo assim, vou publicando em português...

Um beijinho para ti, minha amiga!

Peter disse...

Estou sempre a aprender: nunca ouvira falar no homem.

Meg disse...

Peter,

Vale a pena conhecer este autor.
Sei que vais gostar.

Um abraço

Bipede Implume disse...

Estou a gostar muito deste Experimentalidades.
Grande escolha o poema do Rainer Maria Rilke.
Mas a ideia das fotografias também é muito interessante.
Beijinhos.
Isabel

Mariazita disse...

Boa noite, Meg
Não conhecia este poeta, mas adorei o poema. Belíssimo.
Vou tentar saber mais dele. Despertou-me a curiosidade. E a ti o devo :)
Obrigada, amiga.

Um beijo
Mariazita

Meg disse...

Isabel,
A ideia é tentar levar este espaço por outros caminhos... vamos tentar.
Experimentando sempre.

Beijo

Meg disse...

Mariazita,

É um grande Poeta, vais gostar.
Bom fim de semana... alargado, pelo que dizes.

Beijinho